Feliz dia das mulheres para as que eu abandonei hoje

Foi exigido perfeição de mim e eu peidei para o que vocês quiseram. É muito óbvio que eu não devo explicação para ninguém, claro. Mas eu gosto de falar de mim e o que já fizeram comigo para ajudar quem está quase no mesmo caminho de merda que uma vez eu entrei.Leia mais »

Anúncios

Casaco, café e vestir Prada

Vamos começar com um cronograma. Acerca de uns 3 meses atrás, uma amiga publicou na história do seu Instagram, uma imagem, da qual posso classificar, sem via das dúvidas, como mais um meme viralizando por aí. Uma modelo que usava um sobretudo, salto alto, óculos escuros, com o copo de café na mão, aparentemente apressada, representação fiel de um filme da Meryl Streep, assim completo.Leia mais »

UMA ERA MAIS DIGITAL

 Falando de algo novo, com uma velha disputa.

 Estamos vivendo em uma época onde as informações estão sendo repassadas cada vez mais depressa, consequentemente, essa tecnologia passa a nos afetar direta e indiretamente.  Não podemos negar que a cada minuto que se passa, vemos claramente essas mudanças chegarem ao nosso dia-a-dia, afetando sempre na modificação de novas técnicas cheias de praticidade. Transformando a sociedade cada vez mais avançada, numa interação de troca de informações mútuas ainda mais rápidas ao passar dos anos.Leia mais »

Precisa ser falado

São as inúmeras falas a vários dos seus destinatários, em prol do quê?
Das visitas que você faz, nas rondas de prontidão cheias das suas tonturas do passado, ao meu desfecho em catálogos de fotos por aqui?
E sobre o que é, que eu não escrevo? Reescrevo? Transcrevo as vossas versões de ardis para lhe suprir as verossimilhanças entre o seu passado e meu presente também.
Também.

Não estando eu falando apenas o que vem de mim, também.
Só que com uma ortografia sem nenhuma probabilidade de assimilar-se a sua por ser sem pausas, sempre combo chafariz, aberto de alegrias e gratidão eterna, com aspas no que ninguém nunca foi.
Mas…
Mais rabiscos, mais tendências a ser o que é escrito, ainda que falando seja lá do que for, com suas exatidões repetidas aos mesmos sentidos, sendo gritado pelos canais mais externos a ser ouvido pra escrever o meu, o seu, um qualquer descrito vital a ser deixado eterno. É tão valioso esses silêncios assim?
O que seria tão menosprezado a ponto de não ser digno de se expor em entrelinhas?

#2